30/05/2011 12:21 pm

AGED amplia ações educativas na campanha contra aftosa

aged amplia aes eA Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), está realizando uma série de ações de reforço da primeira etapa da Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa

 

aged amplia aes educativasA Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), está realizando uma série de ações de reforço da primeira etapa da Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa, iniciada dia 1º e encerramento para o dia 31 deste mês.

As ações fazem parte do Projeto Fazendo Educação, da Coordenação de Educação Sanitária da Aged. São realizadas em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Nesta sexta (20) e sábado (21), estão sendo realizados “dias de campo” para conscientizar produtores, criadores e todos aqueles que estejam envolvidos no setor pecuário, para a importância da vacinação contra a febre aftosa.

Neste sábado (21), o Dia de Campo acontece no município de Maracaçumé. Na sextafeira (20) em Santa Luzia do Paruá. Ambos pertencem à Unidade Regional de Zé Doca.

As programações dos eventos incluem aulas práticas de técnicas de vacinação ensinadas para vaqueiros, produtores, criadores e interessados, além de palestras educativas e apresentações teatrais sobre a importância da campanha de vacinação contra a aftosa.

A Aged realiza os cursos e ações educativas com o objetivo de orientar e capacitar os criadores e vaqueiros para que eles sejam multiplicadores da Campanha. A chefe da Unidade de Zé Doca, Lucineia Nunes Leal, disse que, por meio dos meios de comunicação, apresentação de espetáculos teatrais e ministrando palestras, é possível manter a consciência acesa de toda a população. “Alertamos quanto aos prejuízos da doença e a fantástica inclusão sócio-econômica do avanço de status sanitário”.

Para o Secretário de Agricultura Pesca e Pecuária, Cláudio Azevedo, é importante que os criadores entrem na luta para o desenvolvimento do agronegócio do Maranhão. “O Maranhão vai ingressar nos grandes mercados pecuários do Brasil e do mundo, ampliando em muito a geração de emprego e melhoria da qualidade de vida de uma parte significativa da população maranhense”, ressaltou.

Segundo o diretorgeral da Aged, Fernando Lima, a meta da agência é percorrer o maior número possível de unidades regionais para reforçar a mensagem da campanha.

No início da semana foi realizado, em Codó, o ciclo de palestras, no auditório da Associação Comercial, quando foram mobilizar produtores rurais, sindicatos, alunos do curso de agropecuária e a sociedade em geral. No total, participaram 151 pessoas, em um evento realizado com a parceria das secretarias municipais de Agricultura, e Indústria e Comércio, Associação Comercial, Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Câmara de Vereadores, AGRO.VETER e Casa do Fazendeiro. “O resultado foi muito positivo e queremos multiplicá-lo”, disse Fernando Lima.

Metas

A grande mobilização em torno da campanha de vacinação contra a febre aftosa é necessária porque, ainda este ano, o Maranhão pode ter sua classificação elevada de médio risco para zona livre de febre aftosa com vacinação. Para isso, o estado precisa cumprir – juntamente com outros seis estados nordestinos – cumprir uma série de protocolos estabelecidos em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Uma das principais metas é alcançar 100% de cobertura vacinal nos rebanhos de bovinos e bubalinos, estimado em 7,2 milhões de cabeças.

Fonte: AGED/SAGRIMA

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI