5/12/2011 7:44 pm

Regional da AGED em Balsas interdita fazenda

agrotxicos balsas


Foto: AGED/Balsas

Legenda: Fiscais da Aged em Balsas vistoriam embalagens de agrotóxicos vendidos que eram mantidos em galpão de fazenda instalada na Serra do Penitente.

 

Regional da Aged em Balsas interdita fazenda de soja no Sul do Maranhão que mantinha 18 toneladas de agrotóxicos vencidos

A Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED) interditou, no fim de semana, o depósito de uma fazenda produtora de soja em Tasso Fragoso, na Região da Serra do Penitente, no Sul do Estado, que armazenava 18 toneladas de agrotóxicos vencidos.

A denúncia feita à Unidade Regional da AGED no município de Balsas, informou que a fazenda guardava cerca de cinco toneladas de agrotóxicos vencidos em um galpão.

O Chefe da Aged em Balsas, Diego Amaral, solicitou reforço da Regional em São João dos Patos, e só descobriu que o volume de agrotóxicos era quase quatro vezes maior quando chegou ao local. “Nos surpreendemos quando chegamos ao local e encontramos um quantidade tão grande. Havia no local 601 galões de 20 litros vencidos, totalizando 12.020 litros de um produto que não conseguimos identificar adequadamente no momento da inspeção, pois não continha informações sobre número de lote ou do registro no MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). O restante do material foi identificado e já temos a informação dos fabricantes responsáveis”, conta, Diego Amaral..

O depósito foi interditado e os fabricantes dos produtos vencidos estão sendo notificados para que recolham os agrotóxicos vencidos na fazenda, conforme prevê a legislação.

Os fiscais envolvidos na operação classificaram o mesmo como um dos mais árduos da história recente do órgão. “A realização dessas atividades é de fundamental importância e a rapidez com que as denúncias são apuradas, gera efeitos benéficos. Nesse caso, por exemplo, não podíamos correr o risco do produto ser utilizado. A ação rápida era imprescindível para evitar um crime ambiental, e, principalmente, uma possível contaminação humana e animal, já que muitos dos produtos encontravam-se com vazamentos. A AGED sempre zelou e continuará zelando pela qualidade na produção de alimentos”, complementou Diego Amaral.

Crime ambiental – Em outra operação, a Aged de Balsas realizou uma ação conjunta como o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) em uma fazenda, também no município de Tasso Fragoso.

A ação, solicitada pelo órgão ambiental, descobriu um depósito completamente irregular de embalagens de agrotóxicos e resíduos contaminados. “O produto que se encontrava nas embalagens havia sido jogado diretamente no solo, promovendo alto risco de contaminação ao Meio Ambiente local”, denuncia o chefe da Regional de Balsas.

Outro fato que chamou a atenção dos fiscais dos dois órgãos foi a grande quantidade de resíduos de embalagens que haviam sido queimadas. Os dois procedimentos estavam totalmente em desacordo com a orientação dos fabricantes dos produtos e, mais importante, contrários ao que determinam as leis estaduais e federais que regulamentam toda a cadeia de Agrotóxicos no Brasil.

Após a vistoria e constatação da gravidade das infrações, os fiscais notificaram os responsáveis pela fazenda para que devolvam imediatamente à Central de Recolhimento de Embalagens de Agrotóxicos de Balsas o material irregular apreendido, e promovam a limpeza imediata da área.

O IBAMA ainda embargou a área onde os produtos foram encontrados e atuou a fazenda com multa de R$ 2 milhões.

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI