18/11/2014 5:11 pm

Criadores de bovinos e bubalinos tem que vacinar também contra a Brucelose e Tuberculose

Bezerras marcadas

Desde o último dia 01, o governo do estado deflagrou a segunda etapa da campanha oficial de vacinação contra a febre aftosa, obrigatória a todos os bovinos e bubalinos criados no Maranhão. A campanha,coordenada pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), que segue o calendário determinado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), servirá, a partir desta etapa, para divulgação da obrigatoriedade também da vacinação de fêmeas de bovinos e bubalinos entre 03 e 08 meses de idade contra a brucelose e tuberculose, como parte do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose Animal (PNCEBT).

“Com a conquista do status de zona livre de febre aftosa com vacinação, etapas de outros programas sanitários serão intensificadas visando à melhoria da saúde do rebanho bovino e bubalino. A vacinação contra a brucelose é obrigatória e só poderá ser realizada sob a responsabilidade de um médico veterinário autônomo cadastrado na AGED ou médico veterinário oficial e pode ser feita durante o ano todo, mas o criador tem a obrigatoriedade de comparecer ao escritório da AGED, onde sua propriedade está cadastrada, e apresentar o atestado de vacinação”, explica Fernando Lima, diretor da AGED.

A brucelose é uma zoonose que acomete o boi, búfalo, porco, cabra, ovelha, cavalo e o homem. A presença da enfermidade leva à diminuição na produção animal e torna os produtos pecuários vulneráveis às barreiras sanitárias, diminuindo sua competitividade no comércio internacional.

De acordo com a AGED, a doença está disseminada por todo o território nacional e segundo os dados do Inquérito Soro Epidemiológico realizado no Maranhão em 2010, pela agência agropecuária em parceria com o MAPA, a prevalência estimada de focos (propriedades) foi de 11,42%, e entre as fêmeas examinadas a incidência da doença foi de 2,52%.

Até o momento, o setor de brucelose da AGED já cadastrou 305 médicos veterinários para realização de vacinação contra a zoonose e habilitou, juntamente com a Superintendência Federal de Agricultura do Maranhão (SFA/MA), 105 médicos veterinários para a realização de exames de Brucelose e testes de Tuberculose. Os profissionais atuam em todo o Estado e são fiscalizados pela AGED, através das suas Unidades Veterinárias Locais (UVL’s).

A coordenadora estadual do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal (PNCEBT) da AGED, Sonizethe Silva Santana, destaca que, além da obrigação sanitária, a imunização contra a zoonose tem importância econômica para o criador. “Imunizando seu rebanho, o criador,  além de proteger seu animal por toda a vida, evita a desvalorização de seu produto e futuros prejuízos econômicos e sanitários”, destaca.

A movimentação dos animais está condicionada à apresentação dos atestados de vacinações junto às Unidades Veterinárias Locais (UVL’s) , da AGED, pelos criadores das fêmeas em idade de 3 a 8 meses destinados à reprodução, exposição, feiras ou outras aglomerações, ou ate mesmo abate. “Mesmo se a movimentação do rebanho envolver apenas os machos destinado ao abate, os atestados de imunização das fêmeas da propriedade serão exigidos”, alerta Fernando Lima.

 

Texto: Rita Cardoso

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI