4/04/2016 6:14 pm

Operação Impacto inicia atividades com fiscalização de cargas em Bacabeira

Operaçao-Impacto-Bacabeira

Na última sexta-feira, 01, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), em parceira com a Secretaria da Fazenda (Sefaz) e com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), deu início à Operação Impacto de Fiscalização do Trânsito Agropecuário que inspecionará cargas de interesse da defesa sanitária animal durante o mês de abril. Na primeira noite de fiscalização, foram inspecionados 55 veículos na altura do km 48 da BR 135, no Povoado de Periz de Cima, em Bacabeira.

Mesmo com forte chuva, a operação conjunta fiscalizou carros durante 5 horas ininterruptas e aplicou três autos de infração. Quinze veículos que apresentavam cargas de interesse sanitário animal foram minuciosamente inspecionados, correspondendo à verificação de mais de 7.213 aves; 6.500 kg de cama de frango destinada ao uso agrícola; 556 kg de frango abatido; 60 litros de leite; 18.880 kg de carne bovina com osso, 1.700 kg de pescado, entre outros.

Segundo a AGED, o objetivo da Operação é disciplinar o trânsito agropecuário, proibir o trânsito irregular de animais, seus produtos e subprodutos, e intensificar a vigilância epidemiológica ativa em todo o estado, visando à manutenção da zona livre de febre aftosa com vacinação com reconhecimento internacional. “Essa operação é fundamental para a defesa agropecuária. Vamos realizar fiscalizações em todo o estado, durante todo o ano, contando com a ajuda de vários parceiros. Isso possibilitará que possamos identificar todos os problemas de trânsito que temos no nosso estado e apresentar uma solução”, reforçou o presidente da AGED, Sebastião Anchieta.

Infrações

Durante as blitzes de fiscalização volante agropecuária, os fiscais verificam a documentação zoossanitária obrigatória para trânsito dos animais (Guias de Trânsito Animal, além de exames e certificados de vacinação), as condições de transporte dos animais e seus produtos, além de certificados de inspeção dos alimentos, entre outros.

Nesta primeira operação, verificou-se um caso de ausência de documentação para transporte de eqüídeos; o transporte de 476 KG de frango mal-acondicionados e um veículo com 740 kg de carne bovina em desvio de rota, que foi reconduzido pela AGED e PRF para o frigorífico de origem. “Já foi um ganho muito grande porque identificamos vários problemas de cargas clandestinas”, avaliou Sebastião Anchieta.

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI