19/04/2016 5:58 pm

Piscicultores de Itans são orientados sobre formas corretas de transportar o pescado

Fiscais explicam que pescados não podem ser transportados em lonas

Fiscais explicam que pescados não podem ser transportados em lonas

No dia 18, a Associação de Piscicultores do Povoado de Itans, do município de Matinha, participou de uma reunião com a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), no auditório central da Agência, para discutir os documentos sanitários necessários e a forma correta de transporte do pescado para evitar apreensão de cargas e inutilização dos peixes.

 

De acordo com a fiscal estadual agropecuária, Michelle Lemos, a reunião aconteceu por iniciativa dos piscicultores depois que dois transportadores da região, que carregavam dois mil quilos de pescado, foram autuados durante blitz da Operação Impacto de Fiscalização do Trânsito Agropecuário, em Itapecuru. A autuação por ausência de documentação sanitária e transporte inadequado de alimentos implicou em uma multa de R$ 2.800 reais aos produtores. “Eles estavam trazen

do peixes, na carroceria dos carros, em contato com a lona. De forma irregular, porque o peixe não pode ser transportado dessa forma. Como é um povoado que vive da piscicultura e onde foi iniciado um projeto de incentivo pelo governo do estado, eles decidiram buscar essas informações”, explicou.

Durante a reunião, a equipe da Aged orientou os produtores que, de acordo com nossa legislação, o pescado só pode ser transportado em caixas de isopor ou caixas térmicas, obedecendo à proporção de uma parte de peixe para três partes de gelo. Outra forma de transporte permitida é em basquetas plásticas brancas e com gelo, dentro de caminhões frigorificados. “Existem essas três formas de se transportar, mas, nunca, em contato com lona, em veículo utilitário. Mesmo sob a alegação de que a estrada está ruim”, enfatizou Michelle.

O presidente da Associação dos Piscicultores, Elizeu Gomes, declarou que os produtores já estão regularizando o transporte de seus produtos. “Nós não esperávamos essa recepção, estávamos naquele impasse, mas chegamos a um bom acordo”, declarou e adiantou que também estão se articulando para regularizar a documentação sanitária.

Transporte correto de pescados em caixas de isopor

Transporte correto de pescados em caixas de isopor

Nota fiscal

Desde o início da Operação Impacto, realizada nesse mês em parceira com as polícias Rodoviária Federal e Militar, e com a Secretaria da Fazenda, a Aged tem identificado problemas com a documentação sanitária de produtos de origem animal e vegetal. Durante a reunião, os fiscais esclareceram que, no caso de peixes, leite e carnes, a nota fiscal também assume a qualidade de documentação sanitária e comprova a origem e destino do produto. “Os produtores também foram informados da proibição de evisceração do pescado. Uma vez eviscerado o pescado deixa de ser matéria prima e passa a ser produto. E produto só pode sair de uma indústria ou entreposto com serviço de inspeção”, explicou a fiscal estadual agropecuária.

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI