11/05/2016 4:29 pm

Brucelose e tuberculose recebem nova atenção da defesa agropecuária do Maranhão

Veterinários habilitados pelo programa recebem novas orientações, em Imperatriz.

Veterinários habilitados pelo programa recebem novas orientações, em Imperatriz.

De 09 a 13, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) está intensificando as ações voltadas para brucelose e tuberculose em bovinos e bubalinos, por meio da supervisão das medidas de controle, diagnóstico e prevenção dessas doenças na Unidade Regional da Agência em Açailândia. De 02 a 06, o mesmo trabalho foi realizado em Imperatriz.

As supervisões do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal (PNCEBT), que devem acontecer em 8 Unidades Regionais da Agência até agosto, fazem parte das iniciativas do governo estadual para fortalecer a defesa agropecuária. “Pela avaliação do rebanho que foi feito no estado em 2015, a prevalência da brucelose no Maranhão é alta. Um estudo feito em 2012-2014 apresenta de 0,5% a 0,9% como máximo de prevalência encontrada. Nós estamos com 17,52%, equivale a mais de 16x aquele valor que tínhamos anteriormente”, alertou o fiscal agropecuário Lauro Queiroz.

Durante as supervisões, foram realizados treinamentos de fiscais agropecuários e médicos veterinários, com o intuito de disciplinar as ações de combate às doenças. Também foram inspecionados laboratórios de diagnóstico, casas agropecuárias revendedoras de vacinas e propriedades rurais. “Em Imperatriz e Açailândia, temos identificado alguns problemas administrativos e de infração da legislação por médicos veterinários autônomos. Daí a importância do contato maior entre Central e Unidades Regionais para padronizar nossas ações”, explicou a responsável pelo PNCEBT na Aged, Adriana Prazeres.

Vacinação e diagnóstico

Tabela MatériaA vacinação contra brucelose é obrigatória em fêmeas de bovinos e bubalinos entre 3 e 8 meses de idade. No estado, de 2008 a 2014, a cobertura vacinal contra a doença passou de 4.615 fêmeas para 240.616. Já em 2015, o número de fêmeas vacinadas foi de 150.656. Para alargar esse número, a Aged tem aproveitado a campanha de vacinação contra febre aftosa para chamar a atenção para esta outra doença.

No caso da tuberculose, o controle é feito via diagnóstico. O laboratório Servet, em Imperatriz, esteve entre os estabelecimentos supervisionados nesta ação. “A estrutura do laboratório é muito bacana e estava totalmente dentro do que preconiza a legislação”, elogiou Adriana.

 

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI