20/08/2016 9:22 am

Governo inicia treinamento para implantação do programa Aquicultura com Sanidade

Durante o Dia de Campo, técnicos da Aged e Agerp assistiram oficinas sobre piscicultura.

Durante o Dia de Campo, técnicos da Aged e Agerp assistiram oficinas sobre piscicultura.

Como uma das primeiras ações do programa Aquicultura com Sanidade, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) promoveu, no último dia 11, um Dia de Campo sobre Piscicultura para capacitar profissionais do serviço veterinário estadual, na Chácara Santo Antônio, situada em Arari.

Segundo explica a veterinária Caroline Moura, o Programa Nacional de Sanidade de Animais Aquáticos de Cultivo, que recebeu o nome de Aquicultura com Sanidade, é uma iniciativa criada para assegurar a prevenção, o controle e a erradicação de doenças nos sistemas de produção de peixes, anfíbios, moluscos, crustáceos e demais invertebrados aquáticos. “A instrução normativa do Ministério de Pesca prevê que, a partir do próximo ano, todos os estabelecimentos que cultivam animais aquáticos devem se ajustar ao programa. Para isso, estamos orientando nossos veterinários na área para que possam fazer o cadastramento de propriedades e o controle de doenças”, afirma Caroline.

Nesta primeira experiência em campo, 28 técnicos da Aged e da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp) participaram das oficinas de Análise de água, ministrada pelo consultor do Sebrae, Cláudio Urbano, e de Técnicas de Manejo e Sanidade, oferecida pelo instrutor do Senar, Benedito Válter. “O dia de campo serviu como um despertar para os técnicos; um ponto de partida para que a aquicultura maranhense tenha sanidade; que seja quebrado o mito de que pra criar peixe é preciso apenas cavar um buraco e encher de água. Muito ainda precisa ser feito”, defendeu a veterinária.

Na próxima etapa, a Aged promoverá também um Dia de Campo para os produtores, com o objetivo de desmistificar a Instrução Normativa Nº 04/2015 do Ministério de Pesca e Aquicultura (MPA) e de conscientizá-los da importância das medidas. “Queremos esclarecer sobre o programa e mostrar que a adesão ao programa vai melhorar a produção e, além de melhorar, eles terão um produto de qualidade, que vai facilitar a comercialização em todo o estado”, declarou o presidente da Aged, Sebastião Anchieta.

Documentos Sanitários

Dentre as medidas que entram em vigor a partir de 2017, está a obrigatoriedade da emissão de Guia de Trânsito Animal para o transporte de pescado vivo ou resfriado em gelo, antes de passar por um processamento. “Alguns produtores ficaram receosos de que a medida implicasse em aumento no custo de produção, mas a arrecadação da GTA será coerente com o produto. O principal impacto dessa medida não será no bolso do produtor, mas na garantia de que o pescado está vindo de um local que respeita as medidas sanitárias”, esclareceu a veterinária Caroline Moura.

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI