7/04/2017 4:10 pm

AGED Representa o Maranhão na 44 COSALFA

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), na pessoa do Presidente do órgão, Sebastião Anchieta esteve presente na 44 reunião do Comissão Sul-Americana de Luta contra da Febre Aftosa (Cosalfa), que ocorreu nos dias 6 e 7 de abril, na cidade de Pirenópolis, estado de Goiás.

O objetivo da Cosalfa é avaliar o progresso alcançado pelos programas nacionais de controle da febre aftosa e recomendar ações de controle e de erradicação da doença na América do Sul, promovendo a integração das intervenções, na ocasião, a Cosalfa44 analisou o atual contexto que está inserida, á luz do Plano de Ação 2011- 2020 do PHEFA, expondo os desafios da ultima etapa, traçou resoluções relativas ao projeto de criação de um Banco Regional de Antígenos/Vacinas da Cosalfa (BANVACO). Na pauta, também foi discutidas as novas estratégias de vacinação contra a febre aftosa em todos os países.

Nos países livres já será iniciada a transição para o status sem vacinação, já aqui no Brasil, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento alterou o regime de vacinação contra febre aftosa no Maranhão e nos outros oito que compõem a região Nordeste, partindo de uma proposição apresentada pelo Maranhão em 2015. A partir da campanha deste ano, todo o rebanho será vacinado na primeira etapa, em maio, e apenas os animais até 24 meses serão vacinados na segunda etapa, em novembro. Esta mudança representa uma economia de quase R$ 9 milhões para os criadores maranhenses, considerando o valor atual da vacina, tendo em vista que, em novembro deste ano, apenas 2,5 milhões de cabeças até 24 meses, de gado bovino e bubalino, precisarão ser vacinadas, em vez dos 7,6 milhões de animais vacinados em novembro de 2016, referente ao total do rebanho do estado.

O Presidente da AGED, Sebastião Anchieta, ressaltou a importância deste encontro e os maiores focos abordados, com relação ao combate da aftosa e ao gradativo processo de extinção da vacinação, além de frisar a mudança anunciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que contempla todos os estados do nordeste. “Este encontro foi muito positivo, em todas as discussões o grande foco sempre está na erradicação da aftosa, não só no Brasil, mas em toda a américa latina, com isso vamos trabalhar para atingirmos status de livre da febre aftosa sem vacinação. Outro ponto debatido, foi a mudança do regime de vacinação anunciado pelo Ministério da Agricultura, que atendeu uma solicitação de 2015 do Maranhão e passará a ser vigente em todo o nordeste, gerando economia aos criadores.”, explicou.

Sobre a Cosalfa
A Cosalfa é formada por 26 representantes de 13 países do continente americano, sendo um representante do setor público, um diretor do Serviço Veterinário Oficial, e um do setor privado, o que representa a maior associação nacional de produtores de gado. Compõem a Cosalfa: a Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Venezuela e Uruguai, além do Panamá, na América Central, que entrou como convidado. Além desses países, o encontro em Pirenópolis conta com a participação de representantes da Espanha, Estados Unidos, França, Nova Zelândia e Suíça.

Representantes de outras áreas afetadas pelo tema também participam das reuniões da Cosalfa, incluindo os serviços veterinários oficiais, organizações de produtores de gado, a indústria de produtos de origem animal, a indústria farmacêutica veterinária, laboratórios de diagnóstico, universidades, instituições de pesquisa e nacional e internacional, agências de cooperação técnica, entre outros.

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI