3/08/2017 2:55 pm

AGED realiza visita em fábrica de Briquets em Balsas

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) por meio do gestor da Unidade Regional de Balsas visitou pela primeira vez a fábrica de briquetes localizada no Distrito Industrial de Balsas. Além de visitar e fiscalizar a execução dos trabalhos a ação buscou como resultado também a análise do benefício do aproveitamento do resíduo do algodão produzido pela fábrica no município de Balsas voltada para a alimentação animal, principalmente no período da seca.

UR Balsas Fábrica de Briquets

Os briquetes se tratam de blocos densos e compactos de materiais energéticos, geralmente utilizados para engorda de animais em confinamento, podendo ser oferecido no próprio cocho.
A fábrica que produz briquetes de resíduos de algodão com capacidade de produção de aproximadamente, 20 toneladas por dia, fazendo uma média de 400 a 500 toneladas por mês, se trata de uma alternativa para alimentação de bovinos, ovinos, caprinos e equinos. Sendo um produto economicamente viável para o período de seca por ser produzido a partir do processo de trituração e prensagem do resíduo de algodão, o qual a região é um grande o polo produtor.

UR Balsas Fábrica de Briquets (2)
Para o criador as vantagens da utilização dos briquetes na alimentação animal se dão por, não provocar acidose ruminal, não ser fermentado, ter custo reduzido, necessidade de pouco espaço para armazenamento, sendo seis vezes menor quando comparado ao produto in natura, além de gerar economia de mão de obra e pagamento de fretes.

O gestor da Unidade Regional de Balsas, Eugenio Pires, destaca a importância da visita a fábrica e principalmente da fabricação desses produtos para o rebanho de balsas. “É relevante o aproveitamento dos resíduos de algodão oriundos do beneficiamento, tanto para a geração de renda quanto para a preservação do meio ambiente. A produção de briquetes é uma alternativa energética muito atrativa e com grande potencial de aceitação de mercado. É importante destacar a possibilidade de utilização de outros tipos de resíduos orgânicos.” Explicou.

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI