5/07/2018 12:09 am

Técnica da AGED palestra sobre a Raiva durante o 1º Seminário de Saúde Única

Aconteceu na manhã da última terça-feira, 3, o 1º Seminário sobre Saúde Única realizado pelos estudantes de Medicina Veterinária da Universidade Estadual do Maranhão e contou com a presença da Coordenadora do PNCRH – MA, Sonilvalde Santana, Fiscal Agropecuário da AGED.

Explanar o papel do médico veterinário para o auxílio da saúde humana; absorver dados acerca da raiva dos herbívoros e os casos ocorridos nos últimos anos no Brasil; despertar nos participantes as ações já realizadas e as novas práticas de atendimento da saúde humana e animal; esses foram os temas tratados durante a realização do 1º Seminário de Saúde Única realizado pelos estudantes do Grupo de Pesquisa de Morfofisiologia e Patogenia de Parasitos de Animais alocada no Curso de Medicina Veterinária da Universidade Estadual no Maranhão (UEMA).

Segundo a Coordenadora de Pós-Graduação da UEMA, a professora Rita Soares, é necessário entender a saúde como uma abordagem integrada que reconhece a interconectividade entre a saúde humana, a dos demais seres vivos e a do ambiente.  “A Saúde Única é justamente essa interação de ambiente, animal e do ser humano e serve para despertar a visão do aluno, visto uma visão limitada no qual é perpassado uma ideia que somente irá cuidar de cão e gato, fazer cirurgia ou mesmo trabalhar com reprodução, e a medicina veterinária ela tem um alcance muito maior, não que esses outros aspectos não sejam importantes, eles são, mas é preciso que o aluno de veterinária entenda que a atuação  profissional dele tem um lastro muito grande de perspectivas de atuação a que ele pode fazer, como trabalho de pesquisa, extensão e laboratório com essa temática da Saúde Única já tentando se inserir nesse processo”, afirmou.

O termo Saúde Única, do inglês One Health, é uma expressão de uso recente, contudo os conceitos que o embasam são bem mais antigos. O médico patologista alemão Rudolf Virchow (1821-1902) já afirmava no século 19 que entre animais e medicina humana não há divisórias; e nem deveria haver. Ele foi o responsável por cunhar o termo zoonose.

Para a Coordenadora do Programa Nacional de Combate da Raiva dos Herbívoros no Maranhão, a Fiscal Estadual Agropecuário da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), Sonivalde Silva Santana, o controle das zoonoses é de suma importância, visto ser uma doença comum ao ser humano e aos animais, e nesse caso específico, que é a raiva, que a gente trabalha, é uma doença de suma importância quando se trata de saúde pública,visto a sua capacidade em matar o indivíduo. “Sabemos que a raiva, em todo mundo, mata  cerca de 55 mil pessoas por ano, e em relação à importância econômica, no sentido de controle da doença, é porque causa prejuízos econômicos em toda a agropecuária em toda América Latina com perda de milhares de dólares, tanto em relação a vacinação dos animais quanto também em compras de vacinas para pessoas no controle de tratamento de pós exposição de pessoas que têm contato com esses animais, então essa é a principal importância de fazermos o controle da raiva”, afirmou.

Ainda de acordo com Sonivalde, a AGED sempre esteve à disposição para trabalhar em parceria com a área da saúde, assim como a área ambiental. “Sempre achamos essa proposta muito interessante, e achamos que o caminho é por aí, visto a otimização dos recursos humanos e financeiros. Enfim, é uma proposta boa para ambas as partes, portanto não dá para separar. Trabalhamos também nessa nessa perspectiva há bastante tempo e isso não é coisa nova”, concluiu.

 

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Portal desenvolvido e hospedado pela ATI